ACM - Associação de Criadores do Maronês

Sistemas de Exploração

O bovino Maronês é explorado num sistema complexo. Assim, a dependência do animal das condições ambientais e, das produções agrícolas que lhe servem de alimento, levaram à semi-estabulação, e a um regime alimentar, também, de forma mista, com domínio do pastoreio no caso dos animais adultos, e à estabulação permanente, com o consequente regime alimentar à manjedoura, para os animais jovens.

Sistema de exploração no solar da Raça Maronesa(clique sobre as imagens para ampliar)


Para os animais jovens o regime alimentar é feito exclusivamente de leite, num regime de mamadas gradualmente decrescente, do nascimento até aos dois/três meses de idade. Após os dois/três meses, ou mais tardiamente, conforme as zonas (como é o caso das mais montanhosas) ou o estado de desenvolvimento dos vitelos (os menos desenvolvidos mamam assiduamente até mais tarde), as crias são afastadas das mães para outra corte; ou, caso haja falta destas, são separadas em compartimentos diferentes, onde permanecem no intervalo das mamadas, normalmente ocorridas de manhã antes das mães saírem para o pasto, e ao fim da tarde, no regresso. No intervalo das mamadas, os jovens têm à disposição: feno, farinha de milho, simples ou misturada com batatas partidas e alguma erva tenra.


Amamentação de cria Maronesa.(clique sobre as imagens para ampliar)


A venda é efetuada por volta dos sete/oito meses, sendo normalmente nessa altura que o vitelo é desmamado. A procura, por parte do talho, dos vitelos "mamotos", impõe a prática do desmame tardio.

A reprodução faz-se predominantemente por cobrição natural, normalmente com machos existentes em postos de cobrição particulares aonde se deslocam as vacas. Nos últimos anos, devido à alteração da estrutura do efetivo o recurso à inseminação artificial tem vindo a aumentar, representando hoje as gestações por esta via uma percentagem significativa.

O ritmo reprodutivo é o mais intensivo possível, sendo as novilhas cobertas logo que atinjam um nível de desenvolvimento tido como “razoável” (por volta dos 14-15 meses) e as vacas predominantemente cobertas ao 1º cio pós-parto.

Os partos distribuem-se ao longo de todo o ano, embora com alguma irregularidade mensal.

Distribuição média dos partos ao longo do ano


Clique na imagem para ampliar


O bovino Maronês é explorado num sistema complexo. Assim, a dependência do animal das condições ambientais e, das produções agrícolas que lhe servem de alimento, levaram à semi-estabulação, e a um regime alimentar, também, de forma mista, com domínio do pastoreio no caso dos animais adultos, e à estabulação permanente, com o consequente regime alimentar à manjedoura, para os animais jovens

A venda é efectuada por volta dos sete/oito meses, sendo normalmente nessa altura que o vitelo é desmamado. A procura, por parte do talho, dos vitelos "mamotos", impõe a prática do desmame tardio.

A reprodução faz-se predominantemente por cobrição natural, normalmente com machos existentes em postos de cobrição particulares, a onde se deslocam as vacas.

O ritmo reprodutivo é o mais intensivo possível, sendo as novilhas cobertas logo que atinjam um patamar de desenvolvimento tido como “razoável”(dos 14 aos 18meses) e as vacas predominantemente cobertas ao 1º cio pós-parto.

Os partos distribuem-se ao longo de todo o ano, embora com alguma irregularidade mensal.