ACM - Associação de Criadores do Maronês

Características Produtivas e Reprodutivas

Até à mecanização e motorização da agricultura e transporte, o maronês teve na aptidão trabalho a causa primeira da sua elevada valorização económica. Atualmente, a raça distingue-se na produção de carne, principalmente na carne de vitela, aptidão pela qual passou ser conhecida pelos consumidores mais exigentes.

Nesta produção, a informação disponível, resultante, tanto do controlo de performances nos criadores como nos dados recolhidos no matadouro, indica um peso de carcaça aos 7 meses, isto é, ao desmame de 98 Kg com rendimentos em carne, extremamente interessantes, como mostra o quadro.

Número de animais 25
Peso Média de Carcaça (Kg) 98
Fralda Osso 20,120
Costeletas 24,500
Pojadouro 6,245
Chã de Fora 7,445
Chambão 3,380
10,150
Lombelo 1,830
Alcatra 3,255
Rabadilha 3,825
Total 80,750
Rendimento em carne de vitelos maroneses abatidos aos sete meses (Fonte: Agrupamento de Produtores Carne Maronesa, 2002).
Por outro lado, a raça tem elevada aptidão como vaca base, tanto no cruzamento com os machos de tronco Frísio como de outras raças de aptidão cárnica, desde que estas induzam baixo peso ao nascimento.

Na esfera reprodutiva apresenta boa precocidade sexual (idade média ao 1° estro fecundante por volta dos 15 meses), razoáveis índices de fertilidade (± 86,6%) e um intervalo entre partos de 411 ± 54,8 dias.

Quanto à capacidade materna, apresenta grande facilidade de parto (apenas 5,3% dos partos necessitam de ajuda, representando a ajuda veterinária apenas 2,9%) tem elevado instinto maternal com capacidade leiteira mais que suficiente para permitir um bom ritmo de crescimento da cria.

No que respeita à longevidade produtiva, pode-se constatar que 50% das vacas ultrapassam os nove anos de idade, sendo a idade de exploração mais frequente a dos treze anos. Numa análise mais detalhada verificamos ainda que 5% das vacas ultrapassam os 17 anos de idade.